DEZEMBRO LARANJA

Mais um mês colorido que alerta para a prevenção

O mês de dezembro marca o início do verão, e foi definido pela Sociedade Brasileira de Dermatologia como o mês de conscientização do câncer de pele.

Os dermatologistas afirmam que a maioria dos casos poderia ser evitada com medidas simples de proteção solar: usar filtro, chapéu, boné e cuidar com o excesso de exposição ao sol e com os horários certos para isso.

No entanto, dados do Instituto Nacional do Câncer – INCA mostram que os brasileiros não se protegem adequadamente, contribuindo para a grande incidência da doença. O câncer de pele não melanoma é o mais frequente no Brasil e corresponde a cerca de 30% de todos os tumores malignos registrados no país. Apresenta altos percentuais de cura, se for detectado e tratado precocemente. Entre os tumores de pele, é o mais frequente e de menor mortalidade, porém, se não tratado adequadamente, pode deixar mutilações bastante expressivas.

Mais comum em pessoas com mais de 40 anos, o câncer de pele é raro em crianças e negros, com exceção daqueles já portadores de doenças cutâneas. Porém, com a constante exposição de jovens aos raios solares, a média de idade dos pacientes vem diminuindo.

Pessoas de pele clara, sensíveis à ação dos raios solares, com história pessoal ou familiar deste câncer ou com doenças cutâneas prévias são as mais atingidas.

Confira alguns hábitos simples para cuidar da pele:

– Usar protetor solar todos os dias, em todas as áreas expostas do corpo.

– Evitar exposição ao sol no horário de pico (10h-16h).

– Usar boné e chapéu de aba larga para proteger o rosto.

– Observar o aparecimento de feridas que não cicatrizam, manchas escuras ou nódulos na pele, ou alterações em pintas (aumento, modificação da cor, coceira ou sangramento).

– Não usar o filtro ao longo da vida pode trazer outras consequências para a pele, como pintas e sardas.

Fonte: https://www.inca.gov.br