GINECOLOGIA

Uma paixão pelo ofício que se reflete no cuidado com as pacientes

Conheça mais uma integrante do corpo clínico da SAÚDE BRB em entrevista concedida ao Mais Vida: Dra. Verusa Maria Rodrigues Guedes, médica ginecologista, é supervisora da saúde da mulher e atende na Clínica desde novembro de 2014.

Mais VidaQual a sua formação profissional?

Verusa Guedes – Me formei em medicina pela Universidade Federal da Bahia em dezembro de 1993. Depois, fui morar no Rio de Janeiro para fazer residência médica em ginecologia e gravidez de alto risco, no Instituto Fernandes Figueira da FIOCRUZ e fiquei por quatro anos.

Mais VidaComo entrou na SAÚDE BRB? 

Verusa – Se hoje existe a ginecologia na Clínica é graças à Eliane Monteiro, Gerente de Apoio Logístico e Finanças. Nessa época, eu estava trabalhando na Cassi, a Eliane apostava no serviço de ginecologia na Clínica que até então não existia e por intermédio de uma médica de família, fui apresentada à Eliane. A Clínica não tinha a estrutura que tem hoje, ainda estava na primeira ampliação. Fui entrevistada numa sala ainda em reforma (rs). Na ocasião, a gerente levantou todas as necessidades para um bom atendimento ginecológico. Diante da empolgação da Eliane, eu saí da Cassi e apostei nesse serviço da saúde da mulher aqui na Clínica. Comecei a trabalhar em um consultório improvisado que aos poucos foi sendo incrementado com a compra de equipamentos e insumos. A Eliane deu total incentivo para a ginecologia. Crescemos, ampliamos e atualmente temos três ginecologistas.

Mais VidaPor quais experiências profissionais você passou até entrar na Caixa de Assistência?

Verusa – Eu me formei em 1993, fiz minha residência em gravidez de alto risco, já trabalhei em clínica particular, atuei como obstetra, tenho pós-graduação em patologia cervical e sempre atuei na minha especialidade até que em 2006, fiz concurso público para perita do INSS e fui aprovada. Medicina do trabalho é outra das minhas especialidades. Eu vim para Brasília para assumir o cargo de diretora de saúde do trabalhador do INSS, responsável por toda a perícia médica do Brasil, pelo serviço de assistência social e pelo programa de reabilitação. Fiquei nesse cargo de 2012 a março de 2013. Depois que deixei a diretoria, fui convidada pela Cassi para a área de perícia. Atuei também na maternidade do Hospital da Ceilândia. Depois vim para a SAÚDE BRB.

Mais VidaQuais são as suas atribuições na SAÚDE BRB?

Verusa – Realizo medicina assistencial voltada para a ginecologia, eu atendo as pacientes desde a prevenção de câncer, climatério, contracepção, infertilidade e demais serviços do dia a dia da ginecologia. Eu adoro atender mulheres, essa proximidade da assistência é o que me realiza. Vejo a mulher como um todo. Sou supervisora do programa Previne Mulher e coordeno a equipe de ginecologia na Clínica. Além disso, no que diz respeito à parte administrativa, resolvo intercorrências, gerencio números, verifico o atendimento de cada ginecologista e analiso a fila de espera de marcações. Quando é necessário definir uma conduta junto a determinada paciente, os três ginecologistas se reúnem para definirem o melhor caminho a ser seguido.

Mais VidaFale sobre os destaques do programa Previne Mulher.

Verusa – Sinceramente, o Previne Mulher virou um carro chefe dessa Clínica. As agendas dos três ginecologistas estão lotadas, temos profissionais com currículos excelentes, experientes, éticos. Por meio da ginecologia, fazemos com que cada mulher passe a conhecer melhor a Clínica e os serviços oferecidos. Fazemos com que as que ainda não frequentam a Clínica tenham seu médico de família, sintam-se acolhidas pelo cuidado personalizado e integral e passem a procurar cada vez menos a rede credenciada. Fazemos aqui toda uma estatística de diagnósticos de câncer por ano, Papanicolau, que inclusive ao atrelarmos esse exame ao PCMSO do BRB, muitas pacientes que ainda não conheciam a Clínica, passaram a frequentá-la. Recebemos aqui mulheres que passaram 18 anos sem se consultar com um ginecologista. Existe uma enorme satisfação do público feminino em relação à ginecologia. Isso, para mim, reflete o sucesso do Programa. Temos aqui todo o equipamento de ponta para atender as mulheres. Dentro do Programa, desenvolvemos o projeto Nascer Saudável, também uma ideia da Eliane que dizia “temos que atender gestantes”. Temos casos de câncer diagnosticados precocemente, hoje curados. Detectamos também cânceres fora do aparelho ginecológico. São inúmeros os destaques do Previne Mulher.

Mais VidaQuais são seus maiores desafios na Instituição?

Verusa – Meu maior desafio é atender toda a carteira feminina da SAÚDE BRB, que hoje deve estar em torno de 4.800 mulheres. Ter capacidade física e capacidade humana de fazer um atendimento ético, com calma, eficiente. Mostrar para elas que o que temos aqui, poucos lugares, inclusive na rede, oferecem. Temos um espaço altamente acolhedor, possuímos a possibilidade de discutir em equipe, de forma interdisciplinar, os casos de cada paciente.

Mais VidaQual a sua maior conquista como coordenadora da ginecologia?

Verusa – Com certeza é a satisfação das pacientes. Todas as mulheres que chegam à essa Clínica para serem atendidas pelo Previne Mulher, sentem-se acolhidas, satisfeitas e felizes. Ficam impressionadas com o espaço físico, com a tecnologia que possuímos, mas principalmente com a excelência do atendimento. Esse é uma conquista de todo o dia.

Mais VidaAlgo que gostaria de reforçar sobre o trabalho da Clínica?

Verusa – Gostaria de destacar que um bom espaço físico e recursos tecnológicos a gente consegue com dinheiro, mas o grande diferencial dessa Clínica são as pessoas que aqui trabalham. É a competência de cada profissional que aqui está. A forma humana de lidar com cada Beneficiário. Aqui o paciente não é apenas mais um, ele é a Joana, ele é a Tereza e nós sabemos em que contexto de vida cada uma está inserida.

Mais VidaPara finalizar, deixe uma mensagem aos leitores.

Verusa – Deixo uma frase que é bastante conhecida, mas é algo que trago para a minha vida: “o medo de perder, tira a vontade de vencer”. Eu não tenho medo de perder porque se eu perder, com certeza, eu vou aprender e o sucesso está dentro de cada um. É importante fazer o que se ama com ética, comprometimento e acima de tudo, humildade. Se colocar sempre no lugar do outro.